Vice-presidente do Barcelona quer que Nike abra os cofres para selar renovação

0
55

O vice-presidente do Barcelona, Javier Faus, deu uma entrevista ao jornal espanhol La Vanguardia e deu algumas declarações importantes. O dirigente disse que o clube não descarta substituir a empresa Qatar como patrocinador máster. A mídia espanhola vem noticiando que a companhia aérea não está cumprindo rigorosamente seus compromissos financeiros junto ao time catalão.

Além disso, ele está seguro de que Messi não deverá sair do time azul-grená tão cedo e de que a Nike deve entender que o contrato com o Barcelona deve ser revisado. Atualmente, a marca norte-americana paga anualmente ao clube 35 milhões de euros (cerca de R$ 106 mi), um valor bem defasado em relação aos últimos contratos europeus com marcas. [[galeria]] O contrato do clube com a Nike se encerra em 2018, mas é normal que até quatro anos antes do vencimento já iniciem as conversas de revisão do contrato. “Agora começamos as negociações. Logo, viajaremos a Portland para conversamos com o presidente da Nike. A Nike tem sido um parceiro maravilhoso desde que entrou (1998, quando substituiu a italiana Kappa)”, disse o dirigente ao jornal espanhol.

Mesmo que tenha tecido elogios, logo em seguida o dirigente salientou o fato de que o clube passou da 24ª colocação para a 2ª como mais valioso na lista da Forbes em um período de quatro anos e que o Barcelona se tornará o primeiro (hoje é o Real Madrid) em pouco tempo. Diante de tudo isso, ele afirmou: “Somos o clube que mais cresce no mundo… Nosso contrato de hoje (firmado em 2008) é obsoleto. Atualmente somos um clube muito mais potente, e estamos certos de que a Nike levará isso em conta.”

E realmente a Nike terá que abrir seus cofres para permanecer vestindo o Barcelona. Seu principal time na Inglaterra era o Manchester United, mas a marca perdeu a parceria ao sucumbir a uma oferta de 75 milhões de libras (R$ 266 mi) que serão pagos pela Adidas, nova fornecedora dos Diabos Vermelhos. Ou seja, 2 vezes e meia o valor que a Nike paga atualmente ao Barcelona.

Além da questão financeira, o dirigente destacou o mundo digital como primordial na esfera do marketing. “Hoje em dia o mundo digital é muito mais importante do que a venda de camisetas. E quando podemos nos projetar para o mundo e melhorar as relações com nossos parceiros, como a Nike, é muito mais importante, por exemplo, onde consegue chegar no mundo digital do que vender 100 mil camisetas.”