À sombra das marcas líderes, as chuteiras de velocidade da Asics impressionam

0

Parece uma regra que não tem exceção. Todo produto feito por uma empresa consolidada do Japão prima pela qualidade. E as chuteiras da Asics não são diferentes. Testamos os modelos DS-Light X-Fly MS (couro sintético e cor verde) e DS-Light X-Fly (couro de canguru e cor branca), que foram confeccionados para atletas de velocidade, e a qualidade deles impressiona. À sombra das maiores marcas do segmento, a Asics não está no pé dos maiores craques do planeta, mas poderia.

As chuteiras da marca criada na cidade de Kobe, no Japão, são utilizadas por alguns jogadores brasileiros, como o atacante William, da Ponte Preta (vice-artilheiro do Brasileirão com 14 gols); o volante Ramiro, do Grêmio; o meia João Paulo, do Atlético-PR; o atacante Dudu Cearense, do Goiás; e o goleiro Vanderlei, do Coritiba.

LEIA TAMBÉM: Conheça as chuteiras dos principais jogadores do mundo

As duas chuteiras estão disponíveis no Brasil entre os tamanhos 37 e 44. Elas têm uma placa de cravos chamada X-Fly, que é feita com tecnologia de leve Polímero e Solyte, utilizada em tênis de corrida da Asics. O formato das travas dos dois modelos é circular, o que dá mais liberdade de movimentos laterais, mas também possui ranhuras, que tentam deixar a pisada mais firme.

Conheça nossa página de Testes

Com preço sugerido de R$ 499,90, a chuteira DS Light X-Fly MS tem, segundo a empresa japonesa, 185 gramas de peso cada pé, marca que a cadastra entre as mais leves do mercado. Apenas um pouco atrás das Adidas F-50 e a Nike Mercurial. Já o modelo com couro de canguru, que envolve todo o cabedal do calçado, tem 205g, conforme informações da Asics, e preço sugerido de R$ 599,90.[[galeria]]Caimento/conforto
DS-Light X-Fly (couro de canguru) – 8,5
Oferece o meio termo quase perfeito entre as chuteiras ultra-leves, com as quais o jogador tem a sensação de estar praticamente descalço, e modelos mais macios, que trazem como consequência um peso um pouco maior. O modelo da Asics é bem maleável, adaptando-se ao pé e deixando o toque na bola extremamente macio. Mérito para o couro de canguru.
DS-Light X-Fly MS (couro sintético) – 8,5
Apesar de ser um couro sintético, o modelo agradou bastante neste quesito. O revestimento do calcanhar é bem macio e o couro sintético fino e maleável são de impressionar. Outro ponto positivo para a chuteira são os cadarços feitos em material expansível e a língua fina e macia, o que oferecem um fechamento mais confortável.

Estabilidade
X-Fly e X-Fly MS – 8,5
Os dois modelos têm o formato e a disposição dos cravos da mesma maneira. As 12 travas da chuteira, todas redondas, ajudam a tração da pisada na hora de dar um pique ou mudar de direção. Até por isso, não é muito recomendada para campos de grama society, onde o calçado pode "prender" muito. Em campos naturais é uma ótima contribuição para aumentar a velocidade de resposta de jogadores ágeis.

Leveza
X-Fly – 8
O peso divulgado pela Asics, de 205 gramas, fica um pouquinho acima dos modelos mais leves das concorrentes Adidas, Mizuno, Nike e Puma. A diferença, no entanto, não deve ser suficiente para causar estranheza na maioria dos boleiros. E na comparação com modelos intermediários das marcas citadas, a X-Fly até leva vantagem no quesito.
X-Fly MS – 8
Com 185g, segundo a fabricante, o modelo não fica muito atrás das líderes Adizero e Mercurial. O próprio contato com as mãos mostra o quão maleável e leve é essa chuteira. Apenas uma ressalva fica por conta do material que integram a sola e as travas. Se fosse um pouco mais fino e com menos massa, o modelo seria ainda mais leve.

Design
X-Fly – 8
Se tivesse uma versão preta com detalhes em branco, essa chuteira com certeza seria objeto de desejo dos boleiros mais tradicionais. O design do calçado é clássico e até as costuras contribuem para a harmonia do desenho. A cor branca com detalhes em azuis não deixa de ser interessante, mas algumas travas e o logotipo da marca em verde fosforescente tiram um pouco da elegância do modelo.
X-Fly MS – 8,5
Para os amantes de chuteiras coloridas, a DS-Light X-Fly MS faz uma bela combinação. Os detalhes no calcanhar e na frente do calçado trazem a ideia de velocidade e movimento.

Molhada
X-Fly – 8
O fato de ser bastante fechada torna a chuteira da Asics uma das mais impermeáveis nessa faixa de peso. Mesmo sob chuva intensa, os únicos possíveis caminhos para a água entrar são a área em torno do tornozelo e os buracos do cadarço. Com uma garoa fraca, é provável que o meião saia úmido só mesmo pelo suor do jogador.
X-Fly MS – 8,5
Praticamente impermeável. O material sintético fino e os acabamentos justos e bem elaborados não deixam pontos para encher de água.

Entrega do conceito
X-Fly – 9,5
Bem-sucedido. O modelo conseguiu realmente fazer uma chuteira confortável, com o couro de canguru, e ao mesmo tempo leve, para jogadores de velocidade. Os jogadores que gostam de calçar uma chuteira macia e ter também um modelo leve para usar sua velocidade podem se dar por satisfeitos com a DS-Light X-Fly.
X-Fly MS – 9
A DS-Light X-Fly MS traz mesmo a ideia de uma chuteira de velocidade. Seu material, principalmente o cabedal, faz com que seja uma chuteira leve e ágil.

Os testes foram realizados no Parque Estadual Villa Lobos, que cedeu espaço para a atividade.