Atlético-MG ou Athlético-PR: Por onde passou o Furacão?

Atlético-MG X Athlético-PR: Por onde passou o Furacão?
Atlético-MG X Athlético-PR: Por onde passou o Furacão? (Divulgação/Lance)
publicidade

Neste domingo (12), tivemos o primeiro jogo da final entre Atlético-MG X Athlético-PR, e a pergunta que fica é “Por onde passou o Furacão?”.

Uma final de qualquer campeonato o que impera é um clima de respeito, igualdade e talento mutuo.

publicidade

Por isso, é comum que os dois times se estudem ou que ambos joguem por uma bola, um erro, uma chance de consagrar a vitória.

Claro que existem inúmeras exceções e neste domingo, nós vimos essa excessão acontecer diante dos nossos olhos.

publicidade

Quando o campeão da Copa Sul-Americana e o Campeão Brasileiro se enfrentaram todos nós esperávamos que o equilíbrio fosse imperar mas…

Atlético-MG X Athlético-PR: O Furacão chamado Galo

Neste domingo foi o galo quem mandou no jogo foi o Atlético de Minas, desde o primeiro momento do jogo. 

publicidade

Com 1 minuto o Galo já mostrava que queria o Ataque, enquanto o Furacão estava se segurando.

Mas o Athlético Paranaense possui muitos problemas para se defender, tem um sério problema com a saída de bola que o persegue e voltou a atrapalhar neste jogo.

publicidade

O Atlético Mineiro tomou para si o jogo e frequentou o ataque do Atlético até  que por volta dos 20 minutos do primeiro tempo. Em cobrança de pênalti Hulk abre o placar em um gol que premiou a busca ao ataque. 

Aos 31 minutos do primeiro tempo, Terans finaliza, uma finalização sem eira nem beira para o Athlético Paranaense, o que mostrou o que era o Furacão naquele jogo.

publicidade

E aos 34 minutos Keno ampliou para o Galo, que nesse momento ativou o piloto automático.

Aos 44 minutos do primeiro tempo Terans novamente em uma bela cobrança de falta defendida por Everson foi o melhor momento do Furacão no jogo inteiro.

publicidade

Leia mais: Atlético Mineiro Campeão Brasileiro transcende o futebol

No segundo tempo o Atlético Mineiro já mandava no jogo e valorizou a posse de bola. E aproveitava os erros do seu xará e rival na final.

publicidade

Logo aos 10 minutos da segunda etapa, Vargas aproveita um erro de Thiago Heleno e faz 3 a 0. A vantagem já era larga, mas poderia ficar pior.

Aos 23 minutos novamente Vargas matou o jogo e liquidou a fatura.

A partir daí o Athlético buscava diminuir o placar usando suas últimas forças, enquanto o Atlético valorizava a posse de bola.

publicidade

O que fez com que o Galo levasse perigo em alguns momentos, como nos últimos minutos Hulk quase fez o quinto gol em um contra-ataque.

O que você achou? Siga @guiadoboleirooficial no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui

João Gabriel
João GabrielFormado em Letras: Português e Inglês, é um amante do futebol de todos os cantos do globo e vem se dedicando a expor sua paixão pelo futebol como redator especialista do Guia do Boleiro.
Veja mais ›
Fechar