Crônicas Vespertinas: O quão é relevante um jogo da Seleção Brasileira

O quão é relevante um jogo da Seleção Brasileira
O quão é relevante um jogo da Seleção Brasileira (Reprodução/Twitter)
publicidade

Você que acompanhou a Seleção Brasileira nos anos 60, 70, 80, 90, 2000, sabe do que eu estou falando!

Hoje(07) o Brasil enfrenta a Venezuela pelas eliminatórias da Copa do Mundo e hoje em dia a gente pode se dar conta de que a Seleção Brasileira é entre outras coisas um trampolim para a Europa, e uma vitrine para o Neymar. Mas o real torcedor brasileiro, esse sabe que o melhor já passou, talvez até voltará, mas atualmente o futebol é uma jogada de Marketing.

publicidade

As pessoas do meio do Futebol parecem que são instruídas para falar e até mesmo fazer polêmica na hora certa, nada é totalmente genuíno. Se alguém tiver alguma dúvida ou não estiver entendendo o que eu estou falando, assistam uma entrevista do Neymar e outra do Fred do Fluminense, que vocês vão entender o que eu estou falando. Apesar de ser muito contido até mesmo pela idade, Fred é um jogador que fala o que pensa e as vezes até fala mais do que deveria.

Mas será que foi só isso que fez com que as pessoas perdessem o interesse pelos jogos da Seleção? Não, existem muitos fatores mas aqui nós vamos pontuar alguns que foram cruciais.

publicidade

Copa do Mundo 2006 para Seleção Brasileira

A Copa do Mundo de 2006, foi certamente um divisor de águas para o futebol. Ela foi a Copa pré-redes sociais, a internet ainda engatinhava e não era tão acessível. Com isso as comunicações durante a Copa aconteciam majoritariamente pela televisão, mas isso é um assunto para outro dia.

O que vale comentar aqui é o que foi a Copa do Mundo de 2006 para o Brasil. Naquele momento, a Seleção vivia uma fase ‘nas nuvens’. Apesar de alguns problemas pelo caminho, como o torneio pré-olímpico de 2004, a Seleção defendia o título de 2002, foi campeã da Copa América em 2004, Copa das Confederações 2005 e se classificou como primeira de seu grupo na Copa de 2006. Nem precisa se dizer que essa seleção era mais do que favorita.

publicidade

Com Ronaldinho, então melhor jogador do Mundo, Kaká em grande fase, Robinho decolando. Muito se esperava dessa seleção que ainda contava com Ronaldo e Adriano que já não estavam em grande fase.

Entretanto, a derrota para a França nas quartas de final daquela Copa foi um golpe duro que desfez essa geração. Talvez a geração 2006 tenha sido o equivalente a geração 82, pois se esperava muito mais do que ela nos deu. Mas essa é uma comparação que pode ser muito polêmica, mas muito válida.

publicidade

Mas fato é que a derrota do Brasil naquela Copa do Mundo mexeu demais não só com a Seleção como com a torcida. O que nos leva para o próximo tópico.

Jogadores sem identificação com a torcida

Depois de 2006, mais precisamente em a partir da última década tivemos jogadores que saíram do Brasil tão cedo que pouco eram lembrados pela torcida. Um bom exemplo são Daniel Alves e David Luiz, ambos foram vendidos para Europa bastante jovens ao ponto de as torcidas acabarem não tendo uma boa identificação com esses jogadores.

publicidade

Não que isso pudesse ser ruim afinal jogadores na Europa é algo comum desde os anos 80. Mas jogadores que não tem identificação com qualquer clube brasileiro pode fazer com que a Seleção Brasileira perca um pouco do seu apelo popular.

E isso foi acontecendo gradativamente, tivemos alguns casos de jogadores que para muitos acabaram caindo de paraquedas nas convocações.

publicidade

Efeito Neymar

Nada afetou mais a Seleção Brasileira como o Neymar, a antipatia que a torcida teve pelo jogador, cresceu cada vez mais ao longo dos anos. O que levou muitas vezes o jogador ser hostilizado e a torcida perder o interesse pelos jogos da seleção.

Isso porque a Seleção Brasileira é a maior vitrine para Neymar que é o craque da Seleção no momento, mas em seus clubes é um coadjuvante. Assim, Neymar tem seu maior destaque com a Seleção.

publicidade

Mas sua conduta antidesportiva cavando faltas e provocando adversários sem necessidade. E até mesmo briga com torcedores, tudo isso afastou Neymar da torcida de tal forma que sua presença apesar de importante acabou sendo negativa.

Herança dos 7 a 1 para a Seleção Brasileira

A partida da semifinal da Copa do Mundo de 2014 entre Brasil X Alemanha, deixou marcas na Seleção. Entretanto tudo o que eu citei anteriormente, aconteceu quase que em ordem cronológica, então o 7 a 1 acabou sendo a pá de cal.

É inevitável dizer que o brasileiro se decepcionou muito com a derrota, embora o ouro na olímpiadas de 2016 tenha mesmo que um pouco, ‘limpado’ a barra da Seleção. Mas nada conseguirá superar esse 7 a 1.

publicidade

Jogos de Seleções Europeias disponíveis

Isso é algo que pudemos acompanhar este ano, Copa América e Eurocopa foram disputadas quase que paralelamente. Os índices de audiência da Globo, foram melhores em relação ao SBT durante a Eurocopa. Somente na final da Copa América a Emissora do Baú assumiu a liderança.

Clique aqui e aperte o botão "Seguir" para você ser o primeiro a receber as últimas informações sobre este assunto no seu celular!

Mas não é de hoje, que a grande massa opta por assistir a Champions League, os campeonato Europeus e as Seleções Europeias. Talvez isso até explique um pouco mais a falta de interesse na Seleção Brasileira.

O que você achou? Siga @guiadoboleirooficial no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui

João Gabriel
João GabrielFormado em Letras: Português e Inglês, é um amante do futebol de todos os cantos do globo e vem se dedicando a expor sua paixão pelo futebol como redator especialista do Guia do Boleiro.
Veja mais ›
Fechar