Por que o Flamengo precisa de um técnico europeu?

Porque o Flamengo precisa de um técnico europeu?
Porque o Flamengo precisa de um técnico europeu? (Divulgação/Benfica)
publicidade

Após a derrota por 3 a 1 para o Fluminense o Flamengo se afasta mais ainda da briga para o título, e Renato Gaúcho é cada vez mais contestado.

Nas últimas exibições do Flamengo pelo Brasileirão ficou cada vez mais claro que Renato Gaúcho mostra suas preferências pelos torneios mata-mata, em especial a Libertadores. No brasileirão o treinador tem optado por times mistos que as vezes conseguem dar conta do recado, mas em outras vezes jogam aquém do esperado.

publicidade

Entretanto, o que fica é a pergunta “Por que o Flamengo não disputa as três competições?”, afinal tem elenco, tem dinheiro e tem incentivo. Mas a questão que fica é quanto vale disputar as três competições e será que no Brasil existe treinador para conseguir treinar uma equipe em alto nível para três competições?

Para isso, vamos analisar alguns pontos fundamentais para entendermos porque um treinador Europeu pode tirar o melhor da equipe do Flamengo. Mas antes de mais nada é preciso ter em mente que nenhum time pode ser manter em alto nível por muitos anos em diversas competições.

publicidade

As lesões do Flamengo

Em primeiro lugar é preciso isentar o Renato Gaúcho e até mesmo o Rogério Ceni de algo que vem assolando o Flamengo, as lesões. O Rubro Negro na época de Jorge Jesus podia contar com todos os atletas basicamente em todas as partidas (muito por conta de trabalhos físicos e de recuperação). O que hoje em dia já não é mais tão possível.

Arrascaeta, tem frequentado bastante o departamento médico, assim como o Bruno Henrique, Gabigol constantemente vem sendo poupado após sua lesão no tornozelo. Isso se contarmos o trio de ataque, mas ainda temos outros nomes como Diego Alves, Rodrigo Caio, Felipe Luís. Esses são apenas alguns exemplos de jogadores que constantemente são afastados por lesão.

publicidade

Esse é um mal que pode atrasar o trabalho de qualquer treinador, pois o mesmo não irá arriscar um jogador recuperado em uma partida menos importante, com isso os jogadores acabam sendo poupados, em momentos inoportunos. E ainda que o Flamengo tenha peças de reposição, um craque sempre é insubstituível.

A Filosofia

Lembra quando comentei que Jesus tinha um trabalho de recuperação, pois bem, ele treinava seus jogadores para atuar de quarta a domingo, afinal ele tinha a famosa frase “descansar para que?”, um treinador europeu está acostumado a exigir do jogador de quarta a domingo e a trabalhar os mesmos para isso.

publicidade

Talvez não apenas com trabalhos físicos, mas junto a equipe médica e de fisioterapia. Jorge Jesus comentava que um jogador na Europa joga de quarta a domingo sem problemas, mas tudo é recuperação, tanto que no Brasil dificilmente conseguimos ver um time alcançar a façanha do Flamengo de 2019.

Por isso um treinador do velho continente, talvez conseguirá tirar o melhor que esta equipe tem para dar. Embora sejam muitos os problemas físicos e de desgastes que essa equipe já esteja apresentando, ainda sim os jogadores tem muito a oferecer, para aquele que conseguir tirar o que essa equipe tem para dar.

publicidade

A cultura

Pense em algum time brasileiro que conseguiu alcançar os títulos do Flamengo de 2019. Talvez isso seja difícil porque para se vencer o Brasileiro, implica em uma série de fatores econômicos, Logísticos e físicos. É preciso elenco, para viajar de norte a sul do país e jogar em alto nível em 38 partidas, fora as outras competições.

Copa do Brasil e Libertadores são um desafio a mais, por isso é mais comôdo aos treinadores escolher uma destas competições. E não é só o Flamengo, o Brasileiro é um desafio para todas as equipes enquanto a Libertadores são 13 jogos contra 7 adversários. O Brasileiro são 38 jogos contra 19 adversários, isso significa 19 formas diferentes de se jogar.

publicidade

Por essa razão ele é um campeonato, deixado de lado em relação a uma copa que talvez só seja necessário uma vitória e um empate para ser campeão. Entretanto, quando olhamos para o Velho continente.

É algo mais do que comum ver uma equipe ser campeã da Liga, Copa da Liga, Champions ou Europa League. Claro que por muitas vezes isso acontece por conta de alguns campeonatos serem monopolizados. Mas também ocorre por conta do que comentamos anteriormente, os jogadores são preparados para essa bateria de jogos e principalmente, isso faz parte da cultura.

publicidade

Ainda não é algo brasileiro um time ser superior em três competições diferentes. Por mais que consiga em um determinado momento o gás acaba e ou a equipe é eliminada ou perde a chance de ser campeã. Mas nesse momento talvez um treinador Europeu já saiba contornar essa situação, ele está acostumado com um calendário apertado.

Epílogo

Não acho que Renato Gaúcho deve ser demitido, ele teve alguns maus resultados, e nenhum time consegue manter alto nível por tanto tempo em diversas competições. Renato fez o que qualquer treinador faria, observou suas limitações e direcionou suas metas. Não há nenhum mal em se fazer isso.

O Flamengo está na final da Libertadores e para muitos é o favorito, assim como na Copa do Brasil. Caso vença as duas competições o Rubro Negro conquistará a Quadrupla Coroa, somando com o Estadual e Supercopa do Brasil. Por isso não há do que se reclamar por esse ponto de vista.

publicidade

Entretanto, para o futuro, o Flamengo deve observar mais o mercado europeu, pois no velho continente o time conseguirá um treinador que atenda os objetivos que a torcida e o próprio clube deseja. E saberá direcionar a equipe em três ou mais competições simultâneas.

Clique aqui e aperte o botão "Seguir" para você ser o primeiro a receber as últimas informações sobre este assunto no seu celular!

Leia Mais: Globo e Conmebol encerram processo pela transmissão da Libertadores

O que você achou? Siga @guiadoboleirooficial no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui

João Gabriel
João GabrielFormado em Letras: Português e Inglês, é um amante do futebol de todos os cantos do globo e vem se dedicando a expor sua paixão pelo futebol como redator especialista do Guia do Boleiro.
Veja mais ›
Fechar