Apostas esportivas no Brasil: falta o último elemento!

As apostas esportivas fazem parte da realidade do brasileiro e do esporte nacional. No Brasil as pessoas podem criar uma conta em uma casa, fazer depósitos – inclusive usando transferência bancária – dar seus palpites, fazer apostas e retirar os seus ganhos. Mas ainda falta o último elemento!

Atualmente não existe uma legislação própria no Brasil para regulamentar essa atividade. Por isso, muitas empresas internacionais começaram a desembarcar no país fazendo a roda girar, já que há muito interesse em criar uma comunidade em torno desse cenário. Tutoriais sobre como utilizar um código promocional ao se registrar, quais são os melhores depósitos, quais casas são confiáveis ou não, etc, começaram a pipocar na internet.

Entretanto, falta ainda o elemento final nessa legislação. Alguns apostadores podem dizer que nem é necessário, já que é possível fazer tudo que um europeu, por exemplo um português, faz. O problema é que oportunidades são perdidas sem uma lei como as que existem na europa (Portugal, Alemanha, Espanha) e em diversos outros países.

Por nossa Lei atual do jogo, criada na década de 1940, as empresas que operam na internet não são ilegais e os apostadores não estão indo contra a lei. Mas essas empresas não podem ter uma sede física no Brasil, pagar impostos aqui, criar empregos diretos e serem responsabilizadas judicialmente no país.

Apenas na questão dos empregos e tributos é possível mensurar um pouco a grande movimentação de dinheiro que essas empresas produzem. E temos ainda outro fator importante: com um mercado regulamentado é possível criar padrões de atuação e expulsar empresas fantasmas, ligadas ao crime organizado ou sites que são uma fraude para roubar dinheiro e dados sensíveis.

O mercado de apostas no Brasil atualmente

Existe porém, um ponto positivo para os apostadores no Brasil: as empresas de iGaming não possuem “grandes barreiras” para criar um site em português e aceitar os clientes daqui.

iGaming: mercado em franco desenvolvimento!
Por anos os brasileiros entravam em casas de apostas estrangeiras onde existia um único idioma – o inglês –  além de ser possível apenas apostas em dólares ou euros ou ainda, fazer depósitos somente no cartão de crédito internacional. Felizmente para os apostadores brazucas isso mudou drasticamente nos últimos tempos.

Hoje é raro ver um site que não tenha uma versão em português. E um país com mais de 200 milhões de pessoas e, segundo a pesquisa da Ipsos, mais de 40% com interesse ou grande interesse por futebol, adaptar-se a esse público é um bom negócio.

Além de conceder um serviço de atendimento ao cliente em português, possibilidade de pagar em boleto ou transferência bancária e ainda, apostar em reais, os mercados de aposta no Brasil aumentaram muito.

É possível dar seus pitacos em jogos das Séries A, B, C e D do Campeonato Brasileiro, na Copa do Brasil, Estaduais, jogos da seleção brasileira, Copa Libertadores e Sul-Americana e até amistosos e jogos das categorias de base.

Tudo isso com bônus adaptados para o mercado nacional. O mais comum é o uso de um bônus de boas-vindas, que as casas oferecem para novos usuários de suas plataformas. Se antes esses bônus eram apenas em dólar, agora as grandes casas criaram bônus em reais que multiplicam seu primeiro depósito – normalmente em 2x (100%) – até um valor limite (normalmente pode ir de R$ 100,00 até quase R$ 1.000,00). Todo esse interesse por parte dos apostadores (torcedores) chegou aos olhos dos Clubes, que hoje estão ganhando financeiramente com esse mercado, sendo patrocinados por diversas casas de apostas.

O que devo observar ao criar uma conta

Pesar os valores dos bônus é importante, mas não deve ser seu único critério ao abrir uma conta em uma casa de apostas. Até porque esses bônus possuem termos e condições que podem limitar sua retirada depois. Leia sempre com atenção esses termos!

O primeiro procedimento antes de tentar a sorte em uma casa de apostas é ler o conteúdo especializado sobre as empresas em questão, algo que é fácil de encontrar na internet. Após isso confira, com os seus próprios olhos, a segurança da plataforma: se ela possui o selo de segurança do Google (ao lado da barra de endereços), como funciona o atendimento ao cliente e qual a quantidade de mercados disponíveis.

Procedimentos de segurança sempre antes de apostar.
Feito tudo isso, fatores como a existência de um app, promoções além do bônus de boas-vindas e quantidades de métodos de saque e depósito são interessantes de avaliar também. Sem uma legislação específica fica a cargo do usuário estar sempre atento e fazer a triagem, isto é, separar o “joio do trigo” em relação às casas de apostas esportivas.

Vamos torcer para as propostas que estão na Câmara e no Senado brasileiro avancem no sentido do Brasil ter um selo de qualidade nesse mercado, consequentemente, gerar mais tributos e empregos diretos em todo o solo nacional.

Fonte: FutBox