A pergunta que Augusto Melo não respondeu: Por que embolsou R$ 30 mil do pai de jogador de futebol?

Desde terça-feira, o Parque São Jorge ferve, após publicação, pelo Blog do Paulinho, de áudio em que o candidato a presidente do Corinthians, Augusto Melo, em conversa com parceiro de negócios, admite ser agente de jogadores:
Em áudio, Augusto Melo admite ser agente de jogadores e detalha esquemas com parceiros do Corinthians – Blog do Paulinho
O cartola, horas depois, procurado pela mídia, tentou explicar diversos pontos de sua fala.
Porém, espertamente, deixou de lado um tema bem espinhoso, que acabou passando batido, também, dos que o questionaram.
Em determinado trecho, Augusto Melo revelou:
“Agora o Lima (sócio), ele não ganhou 70, 80… ele trouxe 20 pra nós e ganhou 10… e eu te falei isso”
“O pai do moleque me ligou… o pai do menino me ligou e disse: “Eu paguei 30 pro Lima”… e é o normal Adilsinho… o importante é que ele levou 20 pra nós… se não é ele, nós não tínhamos ganho (sic) 30”
“Agora, que ele ganhou, ele ganhou… poderia ter trazido mais? Poderia ter trazido mais…”
“Mas é simples, cara… já desliga do Lima… deixa que eu faço negócio com o Lima em outro sentido, cara”
A dúvida é a seguinte?
Por que Augusto Melo embolsou R$ 30 mil do pai de um jogador para levá-lo ao Barbarense, levando-se em consideração que, segundo a versão do dirigente, seu trabalho era o de diretor não remunerado da agremiação?
Inserida nas práticas, lamentavelmente habituais, do submundo da bola, a resposta é óbvia, mas, apesar disso, o tema não foi debatido.
O trecho “(O Lima) poderia ter trazido mais” indica, também, que a ‘mordida’ prevista era ainda maior.
Ao dizer “deixa que eu falo negócio com o Lima em outro sentido”, Melo, talvez, esteja se referindo não apenas ao Barbarense e o Corinthians – locais em que a dupla tem trânsito livre – mas, provavelmente, ao Juventus, histórico clube da Mooca, em São Paulo.
Em fevereiro de 2017, logo após sair da base do Corinthians, em meio a acusações de corrupção no setor, o agora candidato era visto, frequentemente, ao lado de Lima, nos bastidores do Juventus.
O possível esquema foi detalhado pelo Blog do Paulinho, em 13 de fevereiro de 2017:
Esquema envolvendo agentes ligados ao Corinthians, bancado por filho de contrabandista, é descoberto no Juventus – Blog do Paulinho
Ontem, pai de jogador, conselheiro do Corinthians, sob anonimato, declarou:
“Ele e o Lima não saiam do Juventus. Agora entendo: pai de jogador tem de pagar pra jogar”
O espaço, como de hábito, segue aberto para Augusto Melo explicar a cobrança de R$ 30 mil, não prevista nas atribuições que dizia possuir, à época, no Barbarense, nem no contrato assinado para efetivação da parceria.
Em 2017, Lima (circulado em vermelho), Claudemir Peixoto (de boné), acusado de pegar dinheiro de garotos da base do Juventus, e Tom (cabelo de fogo e camisa listrada)
Luiz dos Reis (treinador do Real, de Rondõnia), Carbone, Chico Pinheiro (presidente do Real) e Lima, sócio de Augusto Melo, no Corinthians (2019)

 

Fonte: Blog do Paulinho