Candidato à presidência do Corinthians, Tuma cogita romper parceria com Nike

0
422

O ex-delegado da Polícia Federal Romeu Tuma Júnior, candidato à presidência do Corinthians, deu entrevista à ESPN e novamente falou de sua discordância sobre os termos da parceira do Timão com a fornecedora Nike. Neste debate, o presidenciável mostrou que não concorda em o time pagar royalties para a marca, entre outras reclamações.

“…no orçamento deste ano e do ano passado, houve uma previsão de o Corinthians pagar R$ 5 milhões para a Nike. É preciso entender isso: a Nike é fornecedora de material para o Corinthians, portanto, não tem que receber nada. O Corinthians joga com o uniforme da Nike em troca do patrocínio da Nike. Quando você vê que o Corinthians está pagando para a Nike, tem alguma coisa errada”, disparou Tuma, que se define como único candidato da oposição. [[imagem46608]]

O ex-delegado da PF disse também que o torcedor acaba pagando muito caro por uma camisa e acaba comprando muito uniforme pirata. Segundo ele, a Nike paga por cada camisa US$ 7 (cerca de R$ 23). Tuma defende que o Timão poderia comprar direto da fornecedora e vestir todas as modalidades do clube.

Tuma acrescentou que a Nike pecou na entrega das camisas e disse que, na gestão dele (caso seja eleito), a fornecedora teria de se enquadrar nos pedidos dele ou encerraria a parceria.[[imagem46609]]

Para completar, o ex-delegado relembrou que a Nike é investigada pelo FBI devido a supostas irregularidades em alguns contratos, incluindo com a CBF. “Não quero me associar com criminosos”.

Vale lembrar que no ano passado o Corinthians e a Nike anunciaram uma renovação de parceria até 2029.