As camisas da Nike para a Copa 2018 não devem ter designs repetidos

0
717

Uma das principais críticas que a Nike tem recebido nos últimos anos é a repetição dos designs (template) para suas centenas de equipes ao redor do mundo, apesar de não ser a única a sofrer com essas críticas. A marca estadunidense, no entanto, deve adotar uma medida diferente para o ano que vem, e as camisas da Nike para a Copa 2018 não devem ter designs repetidos, ou padronizados.

É o que muito torcedor dispara como CTRL C CTRL V ou design padrão. As camisas da Nike para a Euro 2016, por exemplo, foram alvos dessa crítica, apesar de a marca colocar desenhos diferentes nas camisas, como a estonteante camisa xadrez da Croácia em linhas curvas ou a da Polônia com rajadas em cinza claro, representando a água do escudo da federação de futebol do país. 

O problema foi a repetição de designs batidos como as mangas em cores diferentes e os contornos nas golas, usadas nas camisas de Portugal, França e Inglaterra, entre outras. E é esse tipo de crítica que a Nike quer evitar para o Mundial de seleções que ocorrerá na Rússia no ano que vem.

Ainda sobre a Euro 2016, a Adidas foi certamente mais diversificada em termos de design para suas seleções. A marca alternou bastante golas, detalhes nos ombros, laterais e até as três famosas listras nos ombros também oscilaram em espaços nas laterais nas camisas e, claro, nos ombros. 

A marca deve trazer designs, templates e moldes de camisas diferentes para cada seleção participante da Copa de 2018. Até agora, apenas a camisa titular de Portugal teve suas primeiras informações vazadas e naquela notícia já se falava sobre o desejo da empresa em colocar designs exclusivos para as seleções Nike. Com relação à Adidas, um site afirmou que a camisa 2 da Alemanha será verde.

Na Copa de 2014 (relembre nosso infográfico animado em versão desktop), vale lembrar, que a Nike contou com camisas de design mais simples em sua maioria, mas também trouxe uniformes exclusivos, como a belíssima camisa reserva da Holanda e o uniforme número 2 do Brasil, ambos na cor azul. O principal, no entanto, foi que cada camisa Nike na Copa de 2014 trouxe um símbolo no uniforme que remetia às referências e história de cada país. 

Na camisa de Portugal, por exemplo, a Nike inseriu na região interna da nuca um gráfico com a esfera armilar, um instrumento utilizado no século XVI pelos navegadores portugueses e símbolo presente na bandeira portuguesa.

E é isso que a Nike planeja para 2018: juntar a ideia de camisas com designs exclusivos e diferentes para cada país, mas também aplicar símbolos, inscrições e outras manifestações de ligação com a respectiva seleção.