Samsumg é o quinto patrocionador que abandona a Seleção Brasileira

0

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) perdeu cinco importantes patrocinadores nos últimos 18 meses, enquanto seu presidente e seus antecessores enfrentam acusações de corrupção. O último a sair foi a Samsumg. A entidade confirmou a saída da empresa, mas não quis comentar a respeito. Segundo o site da organização, ainda sobram dez patrocinadores, entre eles Nike, Chevrolet e MasterCard.

[[imagem40124]]

As informações são de que a Samsumg pagou 20 milhões de dólares para rescindir o contrato com a CBF. A empresa sul-coreana sofreu perdas financeiras recentemente por conta da retirada do mercado do celular Galaxy Note 7.

Por conta da realização da Copa do Mundo de 2014, as receitas da CBF subiram de R$ 235 milhões para R$ 359 milhões no ano do Mundial, números que caíram para R$ 339 milhões em 2015 e devem cair ainda mais em 2016.

Os rumores sobre corrupção na CBF sempre existiram, mas se transformaram em centro das atenções quando altos funcionários do futebol foram presos na Suíça em maio de 2015. Entre eles estava José Maria Marin, então presidente da entidade, que foi extraditado para os Estados Unidos e espera julgamento por corrupção. Seu antecessor, Ricardo Teixeira e o atual presidente Marco Pólo Del Nero também enfrentam processos nos Estados Unidos, mas não foram extraditados. Del Nero, por exemplo, nunca mais saiu do país por conta dessas investigações.