Camisas de times em 2016-17: ousadas de perto, mas clássicas de longe

0

Perto do fim deste ano, os clubes e seleções ainda estão lançando suas camisas de futebol. Algumas seleções apresentam seus uniformes principais, enquanto poucos clubes ainda divulgam novos mantos especiais e os de número 3. O curioso é que neste ano grande parte das terceiras camisas vieram com uma aparência sóbria, enquanto os uniformes titulares mantiveram suas cores clássicas, mas encontraram sua maneira de ousar no design para entregar originalidade. Falaremos nessa especial/publieditorial como as marcas esportivas fizeram para que as camisas parecerem tradicionais num olhar distante, mas ousadas ao se olhar de perto. Essa estratégia das empresas, curiosamente de forma simultânea por Nike e Adidas, foi muito inteligente, pois agrada a maioria dos torcedores que querem ver a camisa titular com as cores e design característicos da equipe, mas ao mesmo também os agrada novamente, pois eles querem comprar um manto inovador e original, que não repita o que ele já tem guardado com orgulho dentro de sua gaveta. Falaremos também qual foi o caminho que as marcas esportivas fizeram e quais são os pouquíssimos grandes clubes que ficaram com um design clássico em 2016, entre outras abordagens. Será que o design puramente clássico das camisas de futebol acabou?[[imagem40073]]

Na parte do topo do site do Guia do Boleiro, pode-se acessar, por meio dos escudos, a página de cada time, onde se encontra uma parte em que estão desenhados os uniformes tradicionais. Ao se olhar para essas imagens, parece que são uniformes de décadas atrás, mas na verdade são de poucos anos atrás. Será que o design clássico das camisas de futebol acabou então? Acreditamos que não. Mesmo os uniformes titulares que ganharam pitadas de ousadia, como o manto 1 do Milan (Adidas) com listras que se desfazem ou da Inter de Milão com finas linhas circulares espalhadas pela roupa (lembrando que para 2015-16 as camisas 1 de Milan e Inter de Milão foram essencialmente clássicas), mantiveram as cores principais do clube, e essa atitude não deve mudar. Isso mexeria com a identidade do clube. Isso enfureceria os amantes do time. Por outro lado, lançar a camisa de futebol titular com o mesmo design todos os anos já causa frustração por grande parte da torcida e, pior, diminui enormemente as vendas do mais importante entre os artigos esportivos de uma marca. Falando sobre uma camisa reserva, o Boca Juniors lançou em 2013 uma camisa rosa, que gerou revolta dos torcedores e proibição da federação argentina, mas que foi também o recorde de vendas na história do clube argentino.

Além da “reinvenção” da camisa titular, o que deve ocorrer nos próximos anos é um lançamento esporádico de um manto principal com design totalmente tradicional, interrompendo uma sequência de variações de desenhos dos anos anteriores. Pode ser até em datas comemorativas, com design mais retrô, com tecnologias mais novas mas aplicadas em desenhos mais clássicos. Enfim, deve se inverter no futuro o comportamento das marcas: camisa titular completamente tradicional deve ser criada de vez em quando.

Para o consumidor amante de camisas, essas mudanças constantes são uma boa notícia porque sempre haverá camisas com novos designs, mas também tem o fato de ter de guardar um dinheiro para poder comprar (apenas) uma parte do número de camisas que se deseja. Nesta época do ano, por exemplo, perto da Black Friday, as camisas da temporada anterior ganham ainda mais descontos e é uma boa oportunidade para comprar aquela que você estava querendo. Na Futfanatics, os descontos estão interessantes e talvez seja a chance que você queria para comprar. Colocamos nas palavras destacadas no texto links para o preço das camisas desses clubes na loja da Futfanatics (com exceção dos uniformes da Nike).

Poucos times de camisa titular com design totalmente clássico[[imagem40074]]

Em 2016, foram realmente pouquíssimos times que tiveram seu principal uniforme do jeito que a torcida mais tradicionalista gosta. A Adidas deixou o Real Madrid e o Bayern de Munique, seus dois principais clubes, com suas camisas clássicas. Esse último, no entanto, veio com shorts branco, o que não acontecia há mais de 10 anos. O curioso é que as duas equipes ganharam o mesmo molde e design no manto 1, com gola polo de dois botões e detalhes na segunda cor nos acabamentos de gola e manga. As camisas de Real e Bayern na temporada passada também foram clássicas. Aqui no Brasil, o Flamengo também veio com uma roupa bem “familiar”, até um pouco parecida com a do ano passado.

Já a Nike resolveu não lançar nenhuma camisa completamente tradicional para seus principais times pelo mundo, com exceção do Internacional, que ganhou camisas 1 e 2 completamente sóbrias. O restante ganhou, geralmente, uma pequena pitada de originalidade.

A Puma também escolheu colocar detalhes novos nas camisas titulares, e o manto 1 do Borussia Dortmund, seu principal clube patrocinado, mostra bem isso. No entanto, a marca alemã não quis abrir mão do clássico e lançou também um uniforme titular tradicional exclusivo para a disputa da Liga dos Campeões. As marcas restantes preferiram, de um modo geral, embarcar no 100% tradicional para a camisa de futebol titular de sua equipe. Camisas titulares.

Ousadas de perto e tradicionais de longe [[imagem40072]]

Campeãs disparadas em vendas de artigos esportivos pelo mundo e grandes rivais no mercado, Nike e Adidas foram realmente muito criativas para deixar uma camisa titular tradicional para quem olha de longe, mas ousada ao se chegar perto. As duas inclusive pensaram em detalhes que deixariam o manto diferente de tudo que já se viu, mas clássico nas cores e próximo do design conhecido dos torcedores.

Primeiro vamos falar da Nike. Para o Barcelona, fez linhas risca-de-giz no tradicional listrado vertical, bem diferente do manto do ano passado com faixas na horizontal. A camisa do Atlético de Madrid parece 100% tradicional, mas a listra central do manto é mais grossa que as outras vermelhas (pode comparar com a do ano passado, a diferença é sutíl). A camisa do Manchester City ganhou ombros em azul mais escuro, um “choque” em relação ao manto totalmente clássico da edição passada dos Cities. A tradicionalíssima Roma veio com linhas horizontais quebradas, também distinta do manto de 2015-16. Até o Corinthians veio com uma camisa de tonalidade areia, diferente da tradicional totalmente branca, como foi no ano passado.

A Adidas também criou esses pequenos detalhes perceptíveis num olhar mais aproximado. Como já abordado, com exceção de Real Madrid e Bayern, outras equipes ganharam pitadas “apimentadas”. A camisa titular do Manchester United veio com dois tons de vermelho, bem distante da 100% tradicional dos Red Devils em 2015-16. A do Palmeiras também veio em dois tons (do verde), diferente da do ano passado. A do Chelsea veio com pequenas marcas d’água do Leão, e isso não tinha na do ano passado. O manto da Juve veio com listras grudadas, diferente das separadas de 2015-16.

A Puma também embarcou nesses pequenos detalhes inovadores. A camisa titular do Borussia Dortmund também veio com listras mais grudadas, bem diferente da edição anterior, enquanto a do Arsenal ganhou uma listra vertical degradê, única e ao centro, em um vermelho mais escuro, o que mostra a distinção em relação à da temporada passada.

***Este publieditorial foi feito em parceria com a Futfanatics, mas o tema e o texto foram criados pelo Guia do Boleiro. Especializada em artigos esportivos e com grande acervo de camisas de futebol, a Futfanatics oferece produtos e serviços bem interessantes para os boleiros:
– Grande variedade de camisas de times dos principais campeonatos espalhados pelo mundo
– Frete grátis para todo Brasil em compras acima de R$ 129,90
– Camisas podem ser personalizadas com as mesmas fontes oficiais utilizadas pelos clubes