Neymar pode estar com chuteira híbrida Hypervenom/Mercurial

0

[[imagem32927]] Hypervenom ou Mercurial? Poderia ser um “cruzamento” das duas para Neymar Jr? O camisa 10 da seleção brasileira, e dentro de alguns anos o atleta de futebol mais importante para a Nike, havia mostrado um incômodo no mês passado com a segunda geração da Hypervenom, modelo feito sob encomenda para o atacante, e, desta forma, começou a utilizar a Mercurial. No treino do Barcelona desta quinta-feira, no entanto, Ney apareceu com uma Hypervenom híbrida e adaptada para as demandas do brasileiro.

A mudança mais visível na Hypervenom II Phinish clicada nos pés de Neymar está no cabedal. Definitivamente não é o cabedal feito em Nike Skin macio, característica mais marcante da Hypervenom 2 (além do cano alto). Parece o cabedal da Mercurial Vapor, feito em material sintético e mais rígido que o Nike Skin. Essa combinação mostra que a solução para a não-adaptação de Neymar com a Hypervenom II pode ter sido a confecção de um chassi (e design) da chuteira letal da Nike com a inserção do cabedal da Mercurial Vapor. [[imagem32932]]

Em outras palavras, a marca norte-americana pode ter encontrado uma solução para os problemas de Neymar com a Hypervenom II: misturar a Hypervenom com a Mercurial, já que ele vinha utilizando esse modelo nos últimos jogos do Barça. Ainda no treino desta quinta-feira do Barcelona, Neymar utilizou também a Mercurial da coleção Electro Flare.

Além da hipótese de uma chuteira “Hypercurial” ou “Mercuvenom”, Neymar pode ter recebido da Nike uma Hypervenom II com um material diferente, mas essa chance se torna mais difícil, já que teria de confeccionar um tipo diferente de tecnologia para atender ao brasileiro. Vale lembrar que o tecido tricotado forma o cabedal dos modelos Magista e Mercurial Superfly IV (cano alto), enquanto a Tiempo top de linha é “vestida” por um couro de canguru. [[imagem32931]]

Se recapitularmos até a Copa do Mundo, iremos verificar que Neymar se adaptou muito bem com a Hypervenom I. A segunda geração, no entanto, foi a que trouxe problemas para o brasileiro, até que ele decidiu substituí-la pela Mercurial, que era o modelo utilizado pelo camisa 11 do Barça até a chegada da Hypervenom.

Agora, a Nike vai esperar uma definição de Neymar para ver quais serão suas ações de marketing focadas em suas chuteiras. Pode ser que o atacante Lewandoswki, do Bayern de Munique, seja mais explorado como estrela da Hypervenom. Nesta semana, a Nike, aproveitando a inacreditável fase do polonês goleador (12 gols em quatro jogos), criou uma Hypervenom II vermelha customizada para Lewandowski. [[imagem32930]]
 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here