Polonês coloca seu currículo em uma bola e consegue entrevista em um clube de futebol

0
73

[[imagem30137]] Como montar um bom currículo e impressionar os recrutadores. É nisso que todo mundo pensa quando vê uma vaga de emprego. E foi isso que passou pela cabeça do polonês Marcin Kromołowski, de 27 anos e da cidade de Wrocław (Polônia). Ele conta, no entanto, que tinha de ir além e usou sua criatividade para tentar uma entrevista para um cargo no departamento de marketing de um clube de futebol: escreveu seu currículo em uma bola de futebol e enviou para os recrutadores. Resultado: ele foi chamado para a entrevista, mas não conseguiu a vaga, como conta Kromołowski em entrevista ao Guia do Boleiro.

Assim como tantos outros, Kromołowski também diz que deveria ter seguido sua paixão (trabalhar envolvido com o esporte, principalmente futebol) ao invés de ter escolhido um curso na faculdade que parece promissor. Também assim como tantos outros (ainda mais no Brasil), o polonês desistiu de jogar futebol profissionalmente depois de uma contusão, rompimento de ligamento cruzado anterior. Apesar dos revezes, Kromołowski encara com bom-humor e esperança seu futuro profissional e já mostrou que, com criatividade e persistência, ele deve conquistar seu sonho.

Kromołowski diz também que é difícil conseguir na Polônia um salário que pague bem e que muita gente tenta emprego no exterior (leia entrevista na íntegra abaixo). No entanto, o quadro econômico polonês vem melhorando muito, pois a desvalorização da moeda local (o zloty) tem atraído muitas fábricas e empresas para o país, e isso tem feito com que a Polônia esteja entre as nações da Europa com melhores índices de crescimento nos últimos anos. [[imagem30135]]

Guia do Boleiro: Como surgiu a ideia de colocar o seu currículo em uma bola?
Kromołowski: Tudo começou quando eu vi uma oferta de emprego na área de marketing de um dos clubes que jogam a Ekstraklasa (primeira divisão da Polônia). Eu gostaria de trabalhar no cargo, que exige criatividade, para que eu possa usar meu talento. O futebol é a minha maior paixão, eu amo o futebol. A oferta de trabalho já tinha sido publicada havia vários dias, então eu tinha que fazer isso rápido. Eu sabia com certeza que eles receberiam um grande número de currículos, e que a maioria deles estaria em um formato padrão. Em vez de escrever sobre as minhas vantagens, eu decidi mostrar a eles. Sentei-me e comecei a me perguntar o que me faz pensar em futebol. Então pensei: E se o CV fosse uma bola ?! Eu ouvi uma vez sobre currículo em uma camiseta, mas … alguém já tinha feito isso, e cópia de outra ideia não era o que eu queria fazer. Tinha que ser algo novo, meu. Um detalhe crucial para mim foi poder fazer um jogo com as palavras. Então, eu usei o vocabulário usado em futebol e levei para o ambiente corporativo. Exemplo: para falar de minhas experiências profissionais, eu falava sobre os times (empresas) pelos quais tinha passado.

Guia do Boleiro: como você montou o currículo?
Kromołowski: Eu queria imprimi-lo, mas descobri que ficaria quase o valor de um salário médio na Polônia para fazer isso com a bola. Então eu pensei que eu só poderia escrever mesmo. Eu comprei canetas que não saia a tinta. Devido ao fato de que a minha escrita é terrível, eu pedi para um colega fazer isso. Depois de todo trabalho, a bola ficou maravilhosa – como se ela fosse impressa. Enviei então pelo correio. Eu estava tão animado que ficava rastreando sua localização. Depois de uma semana, eu recebi um telefonema. Ouvi dizer "bom trabalho", e eles queriam me entrevistar. Fiquei muito satisfeito. Poucos dias depois, fui lá. O funcionário que me convidou para uma entrevista disse que eu era impressionante, mas que eles já tinham preenchido o cargo. Mesmo assim, me disseram que me convidaram por causa da minha ideia e queriam me conhecer. A entrevista, porém, não era com ele e, sim, com a diretora de marketing. Ela não se mostrou tão interessado como ele, e eu percebi que minha conversa com ela não foi boa. Não consegui o emprego, mas decidi fazer mais CVs em forma de bola e enviar aos clubes, antes que eles anunciassem oferta de emprego. Até agora eu enviei só mais um, mas eu não recebi qualquer resposta deles.

Guia do Boleiro: Fale sobre sua formação e suas paixões.
Kromołowski: Eu estudei economia no colegial e depois me formei na faculdade de Gestão e Engenharia de Produção. Eu escolhi este campo de estudo devido às oportunidades de emprego posteriores. Infelizmente, eu não estava interessado e desisti. Este ano, pretendo começar a estudar de novo, mas desta vez em um campo que está associado aos meus interesses. Quando você gasta no trabalho grande parte da sua vida, isso é só um dever. Eu gostaria de um trabalho associado com o futebol. Algum tempo atrás eu completei um curso de olheiro para trabalhar no que eu quero. Eu também quero, desta forma, ajudar a realizar os sonhos de muitos garotos. Olheiro ainda é uma atividade subdesenvolvida por aqui, e por esta razão nem todos querem pagar por ela, então por enquanto é apenas meu trabalho adicional. Minha maior paixão é definitivamente futebol. Eu treinei por oito anos desde que eu tinha 10 anos. Infelizmente, eu tive uma ruptura do ligamento grave (LCA) e eu não pude continuar a jogar. [[imagem30138]]