Estudo aponta Marta como a atleta mulher mais influente em seu próprio país

0
148

Mesmo com a falta de reconhecimento quase inquestionável do futebol feminino no Brasil, a principal jogadora do país, Marta, consegue se destacar cada vez mais no cenário mundial. Melhor jogadora do mundo cinco vezes seguidas entre 2006 e 2010, ela acaba de ser apontada como a mulher mais influente do esporte no Brasil, incluindo atletas de todas as modalidades.

CR7 é o jogador mais rico do mundo e top 10 do ranking tem três brasileiros

O estudo foi realizado pela agência de análise de marketing Repucom e utilizou o sistema DBI (David Brown Index), uma ferramenta usada para entender a percepção do público com relação a personalidades. São levados em conta oito atributos chave e, segundo os responsáveis, o resultado expressa o pensamento de 1,5 bilhão de pessoas sobre sete mil esportistas.

Confira na galeria as 15 atletas com maior pontuação na pesquisa:

[[galeria]]

A intenção da análise é determinar a capacidade que cada celebridade tem de influencias na fidelidade do público a uma marca ou até na intenção de compra por parte dos consumidores. Com uma escala de pontuação que vai de 0 a 100, Marta teve o melhor aproveitamento ao atingir 90,21 pontos e foi seguida pela patinadora japonesa tricampeã do mundo Mao Asada (88,83), pela jogadora de hóquei argentina Luciana Aymar (87,67), eleita a melhor do mundo oito vezes, e pela saltadora russa Yelena Isinbayeva, detentora de 28 recordes mundiais.

MLS ainda nem começou, mas já deu uma lição de marketing ao Brasileirão

O tênis é a modalidade mais presente nos 15 primeiros lugares, representada por Serena e Venus Williams, Maria Sharapova e até Steff Graff, aposentada há 16 anos e ainda patrocinada por marcas como Adidas, Longines e Nintendo. A patinação artística é o único outro esporte com duas atletas e Marta é a única representante do futebol.

Atualmente jogando no Rosengard, da Suécia, Marta já tem o patrocínio da fornecedora de material esportivo alemã Puma. No entanto, em ano de Copa do Mundo feminina, vale o alerta para as empresas brasileiras: ainda dá tempo de oferecer um pouco da atenção que as mulheres do país merecem e ainda investir na atleta considerada a mais influente do planeta.