São Paulo pode acertar com Under Armour. Ceni e Luís Fabiano já usam chuteiras da marca

0

O goleiro Rogério Ceni e o atacante Luís Fabiano foram vistos treinando nesta semana com chuteiras da marca Under Armour, aumentando assim o rumor de que São Paulo e Penalty podem antecipar o término do contrato para o fim deste ano, já que acordo prevê o vínculo até 2015. Além disso, pode ser que o clube tricolor comece o ano que vem com uma parceria e uniformes da Under Armour.

VEJA TAMBÉM: Imagem da camisa de despedida de Ceni vaza

Algumas semanas atrás, Rogério Ceni estava utilizando uma chuteira da Mizuno, enquanto Luís Fabiano praticamente sempre usou a Mercurial da Nike. Os dois foram vistos nesta semana treinando com a chuteira Under Armour ClutchFit Force, que é descrita pela marca como um cabedal que veste como "segunda pele" e peso aproximado de 220 gramas o pé. [[galeria]] O fato de os dois jogadores estarem usando chuteiras UA sinaliza que a marca norte-americana pode finalmente desembarcar no Brasil, uma vez que já possui times patrocinados nas Américas, como Toluca e Cruz Azul. Até o Santos tinha sido apontado anteriormente como o primeiro time brasileiro que seria vestido pela Under Armour.

São Paulo-Penalty, uma parceria conturbada

O descontentamento do São Paulo com a Penalty está escancarado. Já foi externado até pelo presidente do time tricolor, Carlos Miguel Aidar. O mandatário parece querer antecipar o término do contrato, previsto para o fim de 2015, para o fim deste ano. Ele chegou a dizer que Rogério Ceni ficou muito magoado com o fato de a Penalty enviar convites para a apresentação da camisa de despedida do goleiro, sem antes passar por aprovação junto ao São Paulo.

LEIA: Real retira cruz de seu escudo, após patrocínio com banco de Abu Dhabi

Por outro lado, o presidente colocou nesta quarta-feira panos quentes sobre a polêmica. Ele disse, em entrevista à coluna Painel FC – da Folha de São Paulo, que “não tem mais polêmica. Ele vai usar e eu também vou usar no domingo", em relação à camisa de “despedida” de Ceni, deixando claro, porém, que não se sabe se o camisa 1 vai parar. Além disso, Aidar disse que não vai entrar com uma ação contra a Penalty por causa do envio dos convites de lançamento da camisa de despedida de Ceni: "Não vou fazer nada", e isso talvez possa ser um indício de que o mandatário não quer mais forçar o encerramento de contrato entre as partes.

O fato é que o São Paulo está claramente descontente com a Penalty, que há algum tempo não tem conseguido honrar os R$ 36 milhões que devem ser pagos por ano ao clube paulista.