Corinthians é o time das Américas mais popular na Ásia, conclui estudo

0

Os times de futebol do Brasil são os que têm o melhor alcance no mercado asiático entre todas as equipes do continente americano, segundo um estudo feito pela agência argentina Euromericas Sports Marketing. A pesquisa aponta que quatro equipes do país estão entre as dez mais populares da América na Ásia, com o Corinthians ocupando a liderança do ranking.

Depois do Timão, o segundo colocado é o Boca Juniors, da Argentina, seguido do América do México em terceiro. Completam a lista o Santos, em quarto, o River Plate (ARG), em quinto, o Chivas Guadalajara (MEX), em sexto, o Internacional, em sétimo, o Santos Laguna (MEX), em oitavo, o NY Red Bulls (EUA), em nono, e o São Paulo, em décimo.

Camisas da Argentina e de mais três seleções para a Copa América vazam

Professor da Escuela Universitaria Real Madrid e diretor do estudo realizado nos meses de outubro e novembro, Gerardo Molina explica a metodologia usada: "dividimos em duas partes: as preferências dos torcedores e das empresas do continente, cruzando a base de dados em uma única matriz".

Confira na galeria o ranking dos times das Américas mais populares na Ásia:

[[galeria]]

"Todo o trabalho foi possível graças ao aumento do suporte que hoje temos das redes sociais e das transmissões mundiais das cadeias de televisões dos jogos do mundo inteiro. Cada vez mais gente pode seguir times e torcer por eles a distância graças às inovações tecnológicas com as quais contam as federações e clubes", completou.

Sozinho, Messi vale mais que os elencos de 15 times do Campeonato Espanhol

Segundo Molina, a liderança do Brasil tem como um dos motivos a realização da Copa do Mundo no país em 2014. E o domínio do ranking, ao lado de Argentina e México, é explicado também pela quantidade de grandes jogadores desses países se destacando na Europa, como Messi, Neymar, Chicharito Hernández e outros.

Além do alcance junto aos torcedores, que acontece principalmente por meio das redes sociais, foram consideradas também as opiniões de empresas e executivos do esporte com relação aos clubes. O estudo considerou equipes da América do Sul até os Estados Unidos.