Britânico tenta completar coleção com camisas dos 209 países filiados à Fifa

0

Morador de Peterborough, cidade britânica localizada a cerca de 80 quilômetros de Londres, Nick Warrick tem um hobby comum a milhares de torcedores ao redor do mundo. Ele coleciona camisas de futebol. O professor de matemática de 27 anos, porém, estabeleceu uma meta das mais ousadas: adquirir uniformes oficiais de todos os 209 países filiados à Fifa.

{Para comprar camisas de seleções estrangeiras, clique aqui}

[[imagem10942]]

Warrick contou ao Guia do Boleiro que a paixão por camisas era inicialmente focada em seu time do coração, o Peterborough United, do qual ele possui "a maioria das camisas desde 1975", mas que ele queria um novo desafio. Assim, conversando com um amigo veio a ideia da atual coleção, iniciada em 2010.

Relembre: Site lista "as 50 piores camisas de futebol da história"

"Falamos sobre como seria interessante comprar as camisas das seleções de cada país, mas percebi que se fosse gastar 50 libras (R$ 190) em cada camisa, o projeto custaria cerca de 10 mil libras (R$ 37800). É muito dinheiro", explica. "No entanto, meu amigo me ligou alguns meses depois. Ele estava em San Marino e perguntou se eu queria uma camisa. Aí a ideia começou e não tinha mais como voltar atrás".

Confira algumas das camisas mais marcantes, raras e inusitadas da coleção:

[[galeria]]

Desde então, Nick já conseguiu 200 das 209 camisas desejadas, e isso mesmo com regras rígidas. Ele só aceita camisas oficiais e, como algumas seleções pequenas não vendem réplicas, muitas vezes só consegue o uniforme se conseguir o contato direto com a confederação local ou até com jogadores.

Ao longo dos últimos anos, a busca por camisas rendeu algumas boas histórias. "Recebi uma camisa trazida de Botsuana por um membro da Câmara dos Lordes (o parlamento do Reino Unido), que então me ajudou a conseguir camisas de Montserrat usando seus contatos no escritório do governo desse país em Londres", conta orgulhoso.

[[imagem10963]]Pedido de ajuda e alerta contra pirataria

Embora agora faltem menos de 5% das camisas necessárias para completar a coleção, Nick acredita que estas serão as mais difíceis e que pode demorar de cinco a dez anos para conseguir. As peças ainda não encontradas são da República Dominicana, Aruba, Síria, Guiné-Bissau, Djibuti, Mauritânia, Eritreia, Sudão do Sul, República Centro-Africana e Comores.

"A Eritreia é uma muito difícil, é como se fosse a Coreia do Norte da África. Um país interessante, com muitas obras arquitetônicas maravilhosas, mas um país muito restrito, que dificulta o contato com moradores ou comerciantes locais. E contatos com jogadores raramente levam a alguma coisa, já que eles frequentemente fogem quando vão jogar no exterior", explica sobre a camisa que considera mais difícil de adquirir.

Leia também: Site americano lista camisas mais bonitas do ano e Coritiba fica em 3º

Nick também faz um alerta para quem quiser iniciar uma empreitada como a dele: a pirataria. O britânico explica que muitas seleções usam camisas com designs padronizados de grandes marcas, especialmente da Adidas. Por isso, não são raros os casos de falsos vendedores que apenas pegam camisas comuns da marca e estampam o escudo da seleção para vender como se fosse um produto original.

[[imagem10964]]

"Embora algumas das minhas camisas possam não ser oficiais, à medida que a coleção cresceu eu aprendi muito sobre colecionadores e encontrei algumas fontes mais confiáveis que outras", afirma. Ele alerta especialmente para vendedores no site eBay.

Na reta final para completar sua coleção, o britânico conta com a ajuda de outros torcedores ao redor do mundo. Se você tiver alguma dica sobre onde ele pode encontrar uma das dez camisas que faltam, pode fazer contato por meio de sua conta no Twitter, @FSWorldUK, ou pelo blog oficial do projeto