Em meio a protestos, Fifa anuncia patrocínio de champagne de R$ 900

0
113

Em meio a protestos nos jogos da Copa das Confederações contra dinheiro público gasto na construção de estádios para a Copa do Mundo de 2014, a Fifa anunciou um acordo comercial com a marca de champagne Taittinger, cuja versão mais sofisticada à venda aqui no Brasil custa aproximadamente R$ 900.

LEIA MAIS: Com escudos antigos nas costas, Ajax lança novo primeiro uniforme

O contrato vale até o final de 2015. A bebida vai se tornar o "Champagne oficial da Fifa" no Mundial do ano que vem e prometeu "muitas iniciativas para marcar presença na Copa do Mundo de 2014". 

[[galeria]]

Jornais ingleses como o Daily Mirror e o Daily Mail acharam o anúncio inoportuno dois dias depois de um homem morrer em Belo Horizonte durante um protesto que reuniu 50 mil pessoas nos arredores do Mineirão. O Daily Mail escreveu que o "péssimo timing do anúncio não vai ajudar a acalmar a raiva dos brasileiros".

Eles destacaram que a publicação local Estado de Minas usou a manchete: "Brasil vence. BH perde" ao noticiar a vitória do Brasil sobre o Uruguai na semifinal da Copa das Confederações, no Mineirão.

O presidente da Fifa, Joseph Blatter, lamentou que os manifestantes estejam "usando o futebol para que seus pedidos sejam ouvidos" e disse que "ninguém obrigou o Brasil a sediar nada".

Os protestos que começaram em São Paulo por causa do aumento na tarifa de ônibus e metrô se espalharam pelo país e ganharam novas reclamações, como o mau uso do dinheiro público na preparação para a Copa do Mundo e a corrupção dos governantes. A polícia tenta conter os manifestantes, principalmente durante os jogos da Copa das Confederações, com gás lacrimogêneo.