Versão leve da clássica Morelia, Neo tem como maior destaque a maleabilidade

0
1109

A japonesa Mizuno é representada nos gramados do mundo todo por um número relativamente pequeno de jogadores, se comparada a marcas rivais como Adidas, Nike e Puma. No entanto, os calçados da empresa estão entre os melhores do mercado e os preferidos dos boleiros. Nesta nova reportagem de teste do Guia do Boleiro, a avaliada é a Morelia Neo, versão mais leve da clássica chuteira Morelia, feita totalmente em couro de canguru e cujo "embaixador" é o atacante Hulk, da Seleção Brasileira e do Zenit, da Rússia.

O jogador brasileiro, aliás, teve participação direta na criação do modelo. Segundo a Mizuno, as equipes de produção da empresa se dedicaram a pesquisas diretamente com Hulk com o objetivo de chegar a um produto final que oferecesse todas as vantagens das levíssimas chuteiras de velocidade disponíveis hoje em dia em couro sintético, mas utilizando o couro de canguru e seus benefícios (mais leve, de melhor elasticidade, pouca permeabilidade, entre outros) e sem perder as qualidades da Morelia clássica, lançada pela primeira vez em 1985 e desenvolvida desde então.

Mais testes: EvoSpeed e King, da Puma, são leves e confortáveis

Assim, os especialistas da marca chegaram a uma chuteira com apenas 180 gramas (no tamanho 41), solado feito de PEBAX, também utilizado nos calçados de running da empresa, cabedal em couro de canguru e forro de camurça premium, que realmente deixa o pé mais firme dentro do calçado. Aliadas, essas características prometem oferecer ao boleiro a possibilidade de "chegar à bola mais rápido, com maior velocidade e agiligade", além do conforto de uma chuteira que se molda ao pé como se fosse uma luva. Em resumo, um produto que atende bem ao conceito de que "menos é mais".

Vídeo de divulgação que mostra o passo a passo da confecção da Morelia Neo:

[[video4017]]Além da durabilidade e do conforto, características esperadas simplesmente por conta do material utilizado em sua produção, a Morelia Neo se destaca principalmente pela maleabilidade. No teste do Guia do Boleiro, além das exigências normais em campo, a chuteira foi retorcida de diversas maneiras diferentes (confira na galeria de fotos) sem exigir grande esforço e sempre retornando rapidamente ao seu formato inicial.

Leia também: Mizuno lança versão da chuteira Morelia em branco e dourado

Todas essas tecnologias fazem da Morelia Neo um modelo de primeira linha, para o boleiro que pode investir em um produto de boa durabilidade e alto desempenho, com o modelo profissional – usado no teste – tendo preço sugerido de R$ 699,90. Existem, porém, modelos mais baratos, inclusive para futebol society e futsal. A Morelia Neo Zen (campo/society/futsal) sai por R$ 279,90, a Morelia Neo Shin (campo/society/futsal) por R$ 179,90 e a Morelia Neo Shin Jr. (society/futsal) por R$ 159,90.

{Para comprar a chuteira Mizuno Morelia Neo, clique aqui}

[[galeria]]Caimento/conforto – 7,5
A chuteira envolve o pé do boleiro de tal forma que a sensação de cada toque na bola fique o mais natural possível. Com os dias de uso, esse caimento melhora ainda mais, graças à modelagem do couro de canguru, presente em todo o cabedal, proporcionando elasticidade. O forro de camurça da parte interna colabora para que o pé fique mais firme dentro do calçado, evitanto um pouco que ele escorregue.

Estabilidade – 8,5
Arrancadas, paradas bruscas, mudança de direção… A Neo promete (e cumpre) ajudar os jogadores de velocidade em tudo aquilo que eles devem fazer com primor. Segundo a marca, o posicionamento das 13 travas foi calculado para reduzir a pressão nos pés enquanto proporciona maior tração nos gramados. O que pudemos sentir é que o formato arredondado dos cravos facilita os giros e movimentos laterais.

Leveza – 9
Está entre as mais leves de todo o mercado de chuteiras. Isso acontece, em boa parte, graças ao couro de canguru, que oferece grande resistência aliada a uma espessura mais fina. Chama atenção também que a Neo não traz a língua, que a Morelia tradicional mantém até hoje. Também aí foram ganhos alguns gramas para diminuir o peso da chuteira.

Entrega do conceito (o que a chuteira promete oferecer) – 9
Por contar com apenas um garoto propaganda (e que não está atuando em um dos principais centros do futebol europeu), a Morelia Neo não tem a mesma visibilidade de modelos similares feitos por empresas concorrentes. Seu desempenho, contudo, não fica devendo. O conforto aliado à expectativa de ótima durabilidade transformam a chuteira em uma das melhores opções na sua faixa de preço.

Beleza e Design – 8,5
Apesar das cores fortes, tem um visual elegante, com divisão bem definida entre o amarelo e o azul. Enquanto a primeira domina toda a parte de couro e as costuras, a segunda aparece no solado, na logomarca da Mizuno e nos cadarços, num contraste interessante.

Desempenho molhada – 7
Embora o couro de canguru quase não retenha água, a Morelia Neo fica molhada por dentro rapidamente se exposta a um grande volume de água. Essa característica, no entanto, parece ser consequência de uma decisão consciente da empresa na produção do produto. Explica-se: a chuteira possui uma área de ventilação por baixo do cadarço que oferece maior respiro para o pé. Ou seja, benefício para os dias de calor, problema para os dias de forte chuva. Colocando na balança, concluímos que a área de respiro é um aspecto que apresenta mais benefícios, pois é um ponto de ventilação importante para o conforto e apenas encharca sob intensa incidência de água.

Os testes foram realizados no Parque Estadual Villa Lobos, que cedeu espaço para a atividade.

[[imagem4037]]